Zermatt – Parte 1 – Matterhorn Trail

Zermatt – Parte 1

Quando comecei programar minha viagem para o UTMB em Chamonix, eu ainda não sabia direito para onde ir antes e depois. Comecei a pesquisar sobre a Suíça, e na primeira pesquisa já encontrei Zermatt.

Uma pequena vila localizada ao pé do Matterhorn, umas das montanhas mais famosas (e mais fotografadas) do mundo.

Destino mais que perfeito para uma apaixonada por montanha. A cidade respira esporte e tem muitas, muitas, muitas trilhas. Todas extremamente bem marcadas e sinalizadas, afinal o esporte favorito do suíço é o Hiking. Uma das coisas que mais me impressionou foi a quantidade de senhores e senhoras com mais de 60 anos e famílias com crianças pequenas, desde bebês até adolescentes, em todas as trilhas. Eram quase que maioria. Vi mães com bebês no sling em trilhas difíceis. Coisa mais linda de se ver. Incentivo desde cedo para curtir o que de mais belo a natureza oferece.

Cheguei em Zermatt sexta (25/08) tarde da noite. Me hospedei no Hotel Banhof, que além de hotel é hostel. Quando fiz a reserva vi que o check in só poderia ser feito até as 20h. Como eu sabia que chegaria após as 23h, enviei um e-mail perguntando se seria possível. Eles prontamente me responderam dizendo que seria possível e me enviaram a senha da porta (igualzinho no Brasil). Quando cheguei, a chave do meu quarto estava na recepção e minha cama reservada. Deixei minhas coisas e saí em busca de um restaurante aberto. Aqui tudo fecha bem cedo. As lojas fecham as 8h, e os restaurantes, maioria às 11h. Encontrei um único lugar, pedi uma comida de verdade, pois não aguentava mais comer comida de avião. E tomei uma cerveja local chamada Zermatt Beer, uma delícia, diga-se de passagem.

Minha mala não chegou em Genebra, pois minha conexão em Frankfurt foi apenas de uma hora (não comprem voos com conexão curta via Frankfurt, você vai viver a maior correria da sua vida, porque o aeroporto é gigantesco). Eu consegui chegar a tempo, mas a mala não. No dia seguinte na hora do almoço minha mala chegou no hotel (obrigada Suíça!).

Devido à falta da mala, passei uns perrenguinhos na sexta… eu tinha roupas na minha mala de mão, mas minha necessaire estava na mala, então fiquei sem sabonete, toalha. Mas tudo controlado.

Voltando à Zermatt… aqui não entra carros. Os únicos carros existentes aqui são elétricos e os táxis. Ou seja, ar puro! Igual São Paulo hahahahahhaha… Mas também nem precisa de carro. Você anda de ponta a ponta da cidade em 10 minutos.

A única maneira de chegar até aqui é de trem ou se você for príncipe ou herdeiro você pode também vir de helicóptero.

Se você for viajar por mais tempo pela Suíça vale a pena comprar o Swiss Travel Card. Como eu só viria pra cá, e depois já iria direto para Chamonix não valia tanto a pena. Na verdade saiu quase a mesma coisa. Digo isso porque, com o travel card você tem 50% de desconto em todos os trens e teleféricos aqui em Zermatt. Então acaba valendo a pena dependendo da sua viagem.

Viajar pra Suíça custa caro. Inclusive as passagens de trem. O Swiss Travel Card custa a partir de 248 CF (para 3 dias). Os passeios de trem aqui também não são baratos. Se você estiver com tempo curto e quiser conhecer os principais lugares acabará tendo que usar os trens ou teleféricos. Agora se você estiver com tempo e disposição, dá pra fazer tudo por trilha. Exatamente tudo. Ou seja, o paraíso!

No sábado 26/08, acabei perdendo a manhã, pois estava sem mala, então tive que sair para comprar algumas coisas, e também acordei um pouco mais tarde, estava bem cansada da longa viagem (14 horas, SP – Genebra + 2 horas no aeroporto resolvendo as coisas da mala, + 4 horas de trem de Genebra até Zermatt).

Depois de tudo resolvido, tomei um café da manhã num lugarzinho incrível chamado Home Made Coffee e então segui para minha primeira trilha.

Sai meio sem rumo e sem mapa (esqueci de pegar no hotel), e escolhi na entrada da trilha. Tinham muitas opções, mas como eu não sabia muito sobre nenhuma, escolhi aleatório e optei pela trilha 29, Matterhorn Trail (você encontra sobre todas as trilhas possíveis aqui e no mapa a abaixo você consegue visualizar também.

Não preciso nem dizer que fiquei encantada com a beleza de cada cantinho da trilha. Todo mundo sabe que os Alpes são lindos, eu também sabia, mas me surpreendi muito com tudo. Você se sente pequenininha perto da grandeza das montanhas, uma sensação indescritível.

Estava acontecendo em Zermatt no sábado a Matterhorn Ultraks, uma corrida do circuito Sky Runner, com distâncias de 16km, 30km e 46km (QUE RAIVA QUE EU NÃO VI QUE TERIA ESSA PROVA). Eu poderia ter feito a distância de 16km… Durante a trilha eu encontrei o tempo todo os corredores. Na verdade, pelo que eu entendi, a prova seguia a Matterhorn Trail.

Nesta trilha você vê o tempo todo o Matterhorn, mas a face Sul dele, não a clássica, que vemos em todos os lugares. Mas no caminho você encontra muitos pontos incríveis. Como essa cachoeira com o Matterhorn ao fundo.

Andei 22km, um pouco mais da distância que daria a trilha oficial ida e volta 20km), pois em um momento fiz um desvio errado em outro sentido.

Quando estava retornando pra Zermatt, faltando uns 5km, encontrei uma senhora Suíça, chamada Emanuelle… fomos conversando sobre as trilhas, ela me contou sobre suas aventuras, sobre sua vida, me deu várias dicas de trilhas. Uma graça de pessoa. Ia pedir pra tirar uma foto com ela, mas fiquei tímida hahahaha.

Outro detalhe, os suíços são extremamente simpáticos e gentis. Se não falam inglês bem, se desdobram pra te entender e te ajudar. Sempre com um super sorriso estampado.

Retornei para o hotel já passava das 19h. Tomei banho, agora com todas as minhas coisas. Quando fui sair pra jantar, estava chovendo, então optei por jantar no restaurante ao lado do hotel. E nada melhor que um foundue, para ser bem clichê. Quando terminei o jantar a chuva já tinha passado e então fui andando pela vila e encontrei um Pub tocando um som bem legal. Pensei, pq não entrar? Sentei no balcão pedi uma cerveja local (Valaissane Beer Pale Ale, bem gostosa). Fiz mais uma amizade, uma americana gente boa, chamada Melanie. Ela estava há três semanas em Zermatt, então já conhecia tudo e me deu ótimas dicas, que acabou sendo meu roteiro do domingo. Que contarei no próximo Post porque senão você vai parar de ler agora tamanho o textão. Hahaha

Continua…

Um comentário sobre “Zermatt – Parte 1 – Matterhorn Trail

Deixe seu comentário