Vale do Pati, Chapada Diamantina – Dia 4

Do seu eduardo à andaraí

No nosso quarto e último dia de trekking acordamos com o coração apertado. Já estava acabando uma das experiências mais incríveis das nossas vidas. Zé nos tirou da cama cedo, pois tínhamos que chegar em Andaraí até as 14h, pois ainda visitaríamos o Poço Azul. Tomamos o delicioso café do Vitor, e quando nos despedimos ficamos muito emocionadas. Agradecemos por tudo, e o Vitor na hora da despedida nos disse: “Obrigado por trazer felicidade.” Nós que te agradecemos Vitor, por nos mostrar que a felicidade está na essência das coisas mais simples. ❤️

ladeira do império

O último dia de Trekking é considerado o mais difícil no quesito altimetria. A Ladeira do Império é uma escadaria de pedra que era utilizada para a saída do café que era produzido no Vale antigamente. E olha, era uma senhora ladeira de respeito. Eu acordei beeeeem gripada, com aquelas gripes que você só quer ficar deitada… mas a realidade era bem diferente, eu tinha que subir quase 700mts de altimetria em 2km, percorrer os 18km restantes com um sol bem quente e a minha mochila que estava bem pesada. Não foi fácil.

No meio da subida comecei a me sentir bem mal, suando frio. Pedi para parar umas três vezes, o que atrasou um pouco. A subida parecia inacabável. Foi com muito esforço, mas consegui. Paramos para nosso último lanche na trilha, e o Zé sempre surpreendendo, dessa vez tinha até Bis e geleia caseira hahahah ❤️

Depois do lanche, por volta de meio dia, o sol ficou mais forte, o que dificultou mais ainda minha vida. Foi muuuito sofrido a chegada até Andaraí. Todo mundo super ajudando da maneira que podiam. Mas eu já não tinha mais forças, a gripe estava me minando. Finalmente por volta das 15h chegamos no centro da cidade e fomos direto para a sorveteria onde a nossa Van nos esperava. Deitei no chão e pedi uma coca. Fiquei uma meia hora assim. Que sofrido.

partiu poço azul

Recuperamos as energias com um belo sorvete e seguimos para o Poço Azul já super atrasados. Quando chegamos lá, eles praticamente já estavam fechados, mas como chegamos bem em cima da hora, deixaram a gente entrar. Só tinha a gente.

Que lugar único. Nunca tinha visto uma água tão transparente. Ficamos lá flutuando naquela paz por uns 15 min, que é o tempo máximo permitido. Uma pena que o sol já estava muito baixo para que víssemos o azul do Poço. Tivemos que nos apressar, ainda tínhamos que atravessar um rio de barco para retornarmos para a Van.

Chegamos de volta em Mucugê eram umas 20h, tomamos banho e fomos comer pois estávamos famintos (novidade).

O coração já estava apertado. Dia seguinte retornaríamos para Salvador e chegava ao fim um dos trekkings mais lindos das nossas vidas. Quanto aprendizado e amor estávamos levando na bagagem. A vontade era ficar ali na Chapada por mais um mês… Obrigada Chapada Diamantina por nos proporcionar tudo isso!!

No próximo post, passaremos todas as informações úteis, gastos e indicações.

Vale do Pati, Chapada da Diamantina – Dia 1
Vale do Pati, Chapada da Diamantina – Dia 2
Vale do Pati, Chapada da Diamantina – Dia 3
Vale do Pati, Chapada da Diamantina – Informações e Dicas
Cachoeira do Buracão – Chapada da Diamantina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *