Transmantiqueira Dia 1 -Travessia Marins-Itaguaré

treino para utmb – ccc

Tudo começou há um mês atrás, quando eu estava estudando minha periodização para a CCC (corrida de 101km que farei em agosto), e precisa encaixar um treino de muitas horas, e fazer um bom volume de altimetria.

E esse volume alto encaixaria bem na semana do feriado de 9 de julho. Liguei para o guia (@viniciustrek), para saber se ele tinha a data estava disponível. Expliquei pra ele que precisava fazer um bom volume, e então ele me sugeriu que fizéssemos o que eles chamam de Transmantiqueira: Travessia Marins-Itaguaré, Travessia Serra Fina, e Travessia Rebouças-Rancho Caído no Parque Nacional do Itatiaia. Tudo isso em três dias. Quem conhece a região e já fez alguma dessas travessias, sabe o quanto é difícil.

Com a data definida e as travessias, convidei os meus amigos Fernando e Diego para me acompanhar. Eles de cara toparam (eu sou louca, mas tem gente que abraça minhas loucuras hahahah), e então organizamos a logística.

Ps: amigos trilheiros, não fiquem chateados comigo, convidei pouca gente, pois a minha intenção era treinar um pouco mais focado, e quando se forma um grupo grande a logística é mais difícil e fica tudo mais lento.

Nos hospedamos no Refúgio Rosetal em Itanhandu. Um hostel simples, porém muito bem estruturado e extremamente flexível em questão de horários. A Marissol, proprietária do refúgio é simplesmente a pessoa mais adorável e prestativa. Além de servir café da manhã na hora que você precisa, 3h, 4h da manhã, não importa, ela está lá sorridente e assando um pão de queijo quentinho. Tem como não amar?

Saímos de SP na sexta, por volta de 18h e 22h30 estávamos chegando em Itanhandu. Organizamos nossas mochilas, acertamos o horário de saída com o Vini e capotamos, pois 4h30 da manhã estaríamos de pé.

travessia marins-itaguaré

Saímos de Itanhandu rumo à base do Marins às 6h da manhã. O caminho para chegar lá é por estrada de terra, então é um pouco demorado. Chegamos na base às 7h30 e partimos rumo à nossa primeira travessia do fim de semana.

Em 2016 havíamos tentado fazer, mas uma tempestade nos impediu de continuar (relato aqui). E sábado eu entendi porque não poderíamos ter continuado mesmo, essa travessia é extremamente exposta, muuuuita pedra, ascensões bem escorregadias e inclinadas.

Iniciamos em um bom ritmo, e em 2h20 chegamos ao Pico dos Marins, nosso primeiro cume do dia. O dia estava simplesmente maravilhoso, céu azul, nenhuma nuvem no céu e o visual estava de encher os olhos. Fizemos nosso primeiro lanche ali no cume e então seguimos rumo ao Marinzinho.

A partir dali, o terreno começava a ficar mais técnico e os galhos e capins típicos da mantiqueira começaram a judiar das pernas.

Chegamos ao cume do Marinzinho com 3h40 de travessia, paramos ali por pouco tempo e seguimos em direção à Pedra Redonda.

O visual a partir dali consegue ficar mais lindo ainda. A vista da Pedra Redonda com o Itaguaré ao fundo é incrível.

Passando a Pedra Redonda, as escalaminhadas começam a ficar mais puxadas. A sensação que dava é que não chegaríamos nunca ao Itaguaré. Quando estávamos quase chegando ao cume, precisamos tomar bastante cuidado, pois tivemos que pular pedras com vãos de 100mts (medo), me senti bem menininha nessas horas hahahah. Chegamos ao cume com 7h50, felicidade sem tamanho. Ficamos pouco tempo no cume, pois o vento estava gelado.

Iniciamos a descida, e conseguimos correr um pouco nesse trecho, pois o terreno era um pouco menos travado.

Fechamos a travessia com 9h43, felizes por completar mais um desafio e colocar mais um ✅ em lugares que gostaríamos de conhecer. Terminamos bem inteiros e ainda no final fizemos amizade com a Dona Ruth, uma senhora gracinha que ainda nos deu uma cerveja para comemorar o sucesso do nosso primeiro dia.

Resumo

Travessia Marins-Itaguaré

Saída: Acampamento Base do Marins

Chegada: Acampamento Base do Itaguaré

Distância: 18km

Tempo: 9h43

Desnível positivo: 1811mts

Desnível negativo: 1830mts

Altitude máxima: 2391mts

Altitude mínima: 1527mts

3 comentários sobre “Transmantiqueira Dia 1 -Travessia Marins-Itaguaré

    • isadoramartinspersonal disse:

      Não existe Ga, tem q pular pra chegar no cume do Itaguaré, mas é tranquilo, no meu caso deu a mão pro amiguinho e fui hahahah

Deixe seu comentário