Cachoeira Santa Bárbara, Chapada dos Veadeiros – Dia 3

Um dia antes fizemos dois passeios: Cachoeira do Segredo e Mirante da Janela (clique aqui). O River, nosso guia, deixou bem claro que deveríamos nos encontrar às 5h da manhã, sem atrasos, para chegar na Cachoeira Santa Bárbara a tempo de conseguir senha. Motivo: são 300 pessoas a entrada máxima permitida, uma corrida contra o tempo no feriado.

Essa Cachoeira é uma das mais procuradas pela sua cor azul cristalina, ela se localiza na cidade de Cavalcante na comunidade quilombola  Kalunga, que  fica a 90kms de São Jorge ou a 122kms de Alto Paraíso. A comunidade administra toda a visitação da Cachoeira.

cachoeira santa bárbara vista do drone

Essa lotação vem de pouco tempo, portanto se você for em outros blogs com relatos anteriores a 2017 vai ver que era tranquilo entrar na cachoeira sem se preocupar tento com o horário.

A esperA

Bom, como o nosso guia foi enfático em relação a isso, dessa vez não nos atrasamos como nos outros dias. Chegamos lá e já tinha uma fila imensa, pegamos a senha 148, em questão de 30 ou 40 minutos as senhas acabaram. Na fila, muita discussão, muitos guias levando grupos que não conseguiram entrar, muito grupo bravo com o guia, gente brigando porque guias seguram vagas dos clientes que ainda não chegaram, ou seja, um fusuê, mas conseguimos!! Enquanto o River ficou na fila, fomos tomar café da manhã ali na comunidade que o River já tinha feito a reserva.

Aí quando você acha que está tudo maravilhoso, que vamos logo entrar na Cachoeira….pura ilusão! Você vai pra outro lugar, estaciona o carro e fica na fila pra entrar na estrada que vai pra cachoeira. Não sei exatamente quantos grupos são permitidos ao mesmo temo dentro da Santa Bárbara, só sei que só entrava um grupo quando saía o outro. Cada grupo pode ficar durante 1 hora, no máximo, lá dentro. Nossa vez chegou às 11h. Cansativo, tem que ser muito bonita mesmo!!

eNFIM, cACHOEIRA sANTA bÁRBARA

Entramos com o carro alugado, um Spin, deu tudo certo, porque o River conhecia cada buraco e cada poça de lama, sabia exatamente por onde passar. Mas, se você tiver dúvidas se seu carro vai passar na buraqueira e na lama ou não quiser colocar seu carro nessa situação é só contratar o pau de arara que os quilombolas oferecem.

Entramos e pegamos a estrada bem ruim, estacionamos e andamos por a pé por uns 2 kms num trilha bem tranquila.

pessoas na trilha pessoas na trilhaChegando lá uma maravilha, a Cachoeira realmente é muito bonita, com uma cor impressionante. E o mais legal, no horário que entramos o sol estava bem lá em cima, o que deixa a cachoeira muito mais azul e cristalina. Esperamos muito, mas foi recompensador.Aproveitamos muito, porque só tínhamos uma hora. Então, passamos todo o tempo na água. Foi uma delícia. Valeu a pena! Mas, não sei se eu iria de novo, é um lugar obrigatório de se visitar, mas não sei se ficaria nessa fila novamente.Mais em baixo pode-se entrar nessa queda menor, mas em feriado, fica fechada pra preservação!Almoçamos na comunidade, o almoço estava uma delícia, muito farta, muita coisa boa. Com direito à rede, excelente!!na rede

dicas e informações

-Chegar, no máximo, às 6h para ficar na fila da senha. Com a crescente procura, da próxima iria até mais cedo. Começaram a distribuir as senhas às 7h e entramos às 11h.

-R$ 20,00 a entrada da Cachoeira Santa Bárbara e R$ 10,00 para outras Cachoeiras. Uma das integrantes do grupo que já tinha ido, falou que não valia muito a pena ir nas outras, a não ser que você não consiga entrar pra Santa Bárbara.

-Local: Cavalcante, comunidade quilombola Kalunga: quilombokalunga.org.br

-Obrigatório a contratação de um guia. O nosso era de São Jorge, mas você pode contratar um guia local. O ideal é combinar tudo antes se você for num feriado.

-Café da manhã à vontade: R$ 10,00

-Almoço à vontade: R$ 30,00

– Se quiser contratar o pau de arara, sai por R$20,00

-Abasteça o carro antes, não tem posto de gasolina lá.

Cachoeira dos Couros, Chapada dos Veadeiros – Dia 1
Cachoeira do Segredo e Mirante da Janela, Chapada dos Veadeiros – Dia 2

Catarata dos Couros, Chapada dos Veadeiros – Dia 1

Preparativos

Vamos contar pouco a pouco como foi nossa viagem à Chapada dos Veadeiros pra que as informações fiquem bem completas. Eu, Sassa, estava com saudades da Isadora, última vez que nos vimos foi quando fomos à Chapada da Diamantina em novembro do ano passado. Nada melhor do que nos reencontramos em outra Chapada.

A Isa chamou o marido e os amigos que já tinham ido pra Veadeiros um ano antes. Pronto equipe formada: Eu (Sassa), Isa, Gabriel (marido), Fernando (amigo), Letícia (amiga) e Matheus (irmão da Letícia).

O time: Fernando, Letícia, Isa, Sassa, Gabriel e Matheus

Pessoal foi chegando em Brasília e fui a última a chegar às 23h30. Com o carro já alugado, um Spin pra caber todo mundo, pessoal me pegou no aeroporto com as compras já feitas e partimos pra Alto Paraíso, local onde alugamos uma casa.

Não tem 3g na cidade e os Wi-Fi de qualquer lugar são super disputados e com sinal ruim.

Chegamos na casa umas 2h30 e fomos direto dormir para encontrar com o nosso super guia, River, pra fazer a Cachoeira dos Couros. Contratamos o River pra ficar com nosso grupo os 3 dias seguintes.

Dia 1 – Cataratas dos Couros

Aí que está a vantagem de se contratar um guia, que não só nos levou em uma Cachoeira, mas levou em todas pelo sentido contrário que todos fazem normalmente. Fizemos uma trilha no sentido contrário, descendo e depois subindo pelas quedas.

Primeiro contemplamos dois mirantes com vista de frente pra todas as quedas de água de todas as Cachoeiras das Cataratas.

Depois subimos e ficamos tranquilos numa das melhores partes dessas super quedas, na Cachoeira do Parafuso. Teve pulo de lugar bem alto, teve drone, teve escorrega. A melhor pra banho. Curtimos bastante!

Fomos subindo e apreciamos a visão da Cachoeira de São Vicente, a queda de água era enorme e não foi possível entrar nas quedas por causa do volume.

Subindo mais encontramos a Cachoeira da Muralha dos Couros, onde a maioria das pessoas sem guia, chegam e ficam. O lugar mais lotado, mas grande, conseguimos tomar banho lá também. Continuamos a trilha indo embora pela trilha que todo mundo chega.

Aproveitamos tudo que o local podia oferecer. Além de não errar o caminho, pular na Cachoeira com instrução do River, chegar cedo antes de todo mundo e ouvir as histórias que ele tinha pra contar.

A grandeza e a beleza do lugar impressiona. Ficamos horas ali curtindo as Cachoeiras. É um passeio que vale a pena.

Umas 14h, fomos almoçar num local que o River já tinha reservado na Dona Eleusa. Comida maravilhosa!!

Dicas e informações

Local: Sentido Brasília, São 20kms no asfalto e anda mais uns 30kms em estrada de terra. É possível chegar de carro comum, porém a estrada é esburacada. Não tem placa na rodovia pra entrar, e tem bifurcações não sinalizadas na estrada de terra. Não pega GPS, não tem sinal.

Preço: R$ 5,00 a entrada. R$ 30,00 o almoço com comida à vontade.

Percurso: 5kms esse roteiro completo com subidas e descidas íngremes, dificuldade moderada. Iniciantes terão certa dificuldade, vai ser cansativo, mas conseguirão.

Guiamento incrível: River – 62 9678-3206

River se preparando pro pulo.

veja também:

Dia 2 – Cachoeira do Segredo e Mirante da Janela
Dia 3 – Cachoeira Santa Bárbara
Dia 4 – Vale da Lua e Loquinhas