Pedra da Mina – Serra da Mantiqueira – Passa Quatro – MG

Neste último fim de semana (01/07), à convite da Omnia Sports, fui para Passa Quatro para acompanhar um grupo que tentaria pela primeira vez fazer a Travessia da Serra Fina. Considerada uma das Travessias mais difíceis do Brasil, os caminhos pela Serra da Mantiqueira são belíssimos e também de altíssima dificuldade.

A Travessia da Serra Fina consiste no seguinte percurso:

Saída Toca do Lobo, próxima a entrada do Refugio Serra Fina. Segue até o cume do Capim Amarelo, segue por vales até o atingir o ponto mais alto da Travessia, chegando na Pedra da Mina, desce até o Vale do Ruah, segue até o Pico dos Três Estados, passando pelo altos dos Ivos e terminando a jornada no Hostel Picus em Itamonte.


Todo esse percurso totaliza 32km, com muitaaaa altimetria acumulada, com muita subida e descida técnica de alta dificuldade e capins na altura da cabeça.

Iniciamos a subida pela Toca do Lobo as 8h40… eu fui com o grupo que queria treinar corrida, então o nosso ritmo foi bem forte no começo. Chegamos ao Cume do Capim Amarelo, com seus 2491mts de altitude, com 2h30 e com uma altimetria acumulada de 1100mts em 6km. Paramos, fizemos um lanchinho e seguimos.


Até esse ponto, eu sabia me guiar muito bem, pois já estive ali várias vezes. Dali em diante eu teria que me guiar pelo tracklog do GPS que não era tão preciso, pois no relógio a resolução não é tão boa ou me guiar pelos totens e marcações refletivas.


Acabamos nos perdendo um pouco na saída da Capim Amarelo em direção a Pedra da Mina. Mas nada que demorasse muito para que percebêssemos e voltássemos para o caminho correto. Mesmo mantendo um ritmo bom, com o passar das horas e da altimetria que só aumentava a cada subida, as pernas foram ficando cansadas…

pedra da mina

E depois de muito sobe e desce, é muito visual surreal, chegamos ao cume da Pedra da Mina (2798mts de altitude), com 7h30 e 2025mts de altimetria acumulada. O 4º Pico mais alto do Brasil é simplesmente incrível. Curtimos um pouco o visual e então descemos em direção ao Vale do Ruah onde nosso acampamento estava montado. Totalizando até ali 15km, metade da Travessia.



A Omnia Sports contratou uma equipe fantástica de Itamonte, que levou todo nosso acampamento e ainda nos serviu um jantar incrível (muito obrigada Vinicius e equipe).

Algumas horas depois que chegamos o tempo fechou e choveu torrencialmente a noite toda, o que dificultou um pouco a chegada do segundo grupo ao acampamento pois a visibilidade ficou muito ruim.

Amanheceu ainda com muita chuva e com muita neblina. Do acampamento até o final da travessia ainda teria mais 17kms. Com o tempo naquelas condições tomamos a decisão mais sensata e segura para todos e optamos por descer via Paiolinho, que mesmo sendo muito difícil, a distância era mais curta, apenas 9kms.

Mesmo não concluindo a Travessia completa, fiquei muito feliz em conhecer mais um cantinho espetacular da Serra da Mantiqueira (meu lugar favorito no Brasil).
E como toda trilha nos trás um aprendizado, se eu puder te dar um conselho: alta montanha não é brincadeira, é preciso muita experiência e sabedoria. Não se arrisque em trilhas de alta dificuldade sem estar extremamente condicionado. Seja consciente!

Ainda este mês pretendo fazer a Travessia Completa No Stop… aproximadamente 16h… 32km… quem se anima? ?

#televopratrilha

Um comentário sobre “Pedra da Mina – Serra da Mantiqueira – Passa Quatro – MG

  1. Gabriel C. disse:

    Esse lugar é fantástico né? Não guardo rancor mesmo que ele tenha rompido parcialmente dois ligamentos do meu tornozelo no km 9 da travessia em um dia! kkkk
    Os outros ~22km de dores agonizantes foram lindos! Agora se tem uma coisa que ninguém te fala sobre a SF é a seguinte: BAMBUS! PQP… quantos bambus! hahaha
    Tem videzinho da travessia em um dia aqui, oh: https://www.youtube.com/watch?v=p4YJ4ukj-PE&t=378s

Deixe seu comentário