Desafio das Serras – Dia 1 – Como foi!

Quando a Ultra dos Perdidos foi cancelada, eu e meus alunos ficamos meio perdidos “literalmente”,  e ficamos buscando provas que pontuariam para o Mont Blanc (que é o nosso objetivo do ano que vem).  A prova mais próxima era o Desafio das Serras, que de quebra davam 4 pontos e precisaríamos manter o treino mais pesado apenas por mais um mês, afinal já tínhamos treinado o ano todo pensando em Perdidos e já estávamos bem esgotados.

Sabíamos que não seria nada fácil correr 80km divididos em dois dias. Já corri várias provas longas, mas correr dois dias seguidos 40kms nunca tinha passado pela minha cabeça. Eu não tinha dúvidas que seria pedreira. Todos inscritos (fomos em sete), cinco para correr a prova longa e dois para correr a prova média que consistia em correr 40km em dois dias. Confesso que essa era a distância que eu gostaria de fazer, e se eu puder te aconselhar, faça a distância média, pois assim você consegue curtir o acampamento que é muito bacana.

Saímos de SP na sexta à tarde, pois tínhamos que entregar a mala até às 20h de sexta, para que eles levassem para o acampamento. Não é uma logística muito simples, pois você precisa fazer duas malas, e ficar atento para não esquecer nada e mandar pro acampamento coisas que você iria precisar na sexta e na prova.

No sábado amanheceu um dia de sol, que espantou um pouco o fantasma do dilúvio de Perdidos. A largada seria às 8h30, então às 7h já estávamos na padaria tomando café. Eu e a Barbara estávamos inscritas como Dupla Longo, Danilo, Javier e Marcão como Solo Longo e Renier e Fernando como Dupla Médio.

Largamos e já de cara começamos uma subida insana até o km 10. Eu estava me sentindo muito bem, subindo forte. Com uns 5km de prova percebi que a Barbara não estava se sentindo muito bem, paramos algumas vezes, mas ela não estava em um dia bom. Começou a sentir câimbras logo no início, o que me deixou bem preocupada, se ela iria conseguir terminar. Já corremos várias provas juntas e ela sempre é mais forte que eu, mas dessa vez tivemos que inverter os papéis.

Eu não gosto de parar muito, porque acaba com meu psicológico, então resolvi terminar a subida e esperar a Ba. Na primeira descida ela se recuperou bem, e eu o tempo todo tentando trabalhar o lado psicológico para que ela não desistisse. Não deixava ela parar por muito tempo, para que não batesse o desânimo. A subida foi uma luta, por volta do km 25, onde começava a descer, um Redbull amigo ressuscitou a Ba, e conseguimos imprimir um ritmo bom na descida.

Depois que passamos o Pico do Selado, começou a chover. Não bastava ser chuva forte, veio chuva forte e com granizo. E neste momento estávamos na descida mais técnica da prova, com muitos tocos e aquela terra preta, que com a chuva virou lama. Sorte que neste momento encontramos o Saulo e um Casal (não sabemos o nome, mas demos o apelido carinhoso de Casal rsrs) e seguimos juntos um bom trecho, o que nos deu uma certa segurança no meio daquela chuva insana.

Quando encerramos a descida, a chuva também deu trégua. No GPS já batia 30kms e entramos na parte final da prova que era um estradão sem fim. O cansaço já batia forte e qualquer lombada parecia uma subida dura. Foram os 11kms mais longos da vida. Parecia que não acabava nunca. Liguei o som do meu celular e começamos ouvir Maria Rita para ver se passava o tempo. Encontramos com o Paulo nos últimos 5kms, o que nos ajudou (ainda bem que ele também gostava de Maria Rita hahahah).

Fechamos o primeiro dia em 8 horas e 47 minutos. Bem acima do que eu esperava. A meta era fechar abaixo de 8 horas. Foram 41km com 2400 de ganho de altimetria. Uma pancada. A altimetria foi bem acima do que eu esperava, então o tempo a mais se justificava.

Chegamos, tomamos um banho (tinha chuveiro quente, meu Deus do céu, nem acreditei, obrigada organização), jantamos (tinha espetinho e macarronada). Por fim, fizemos soltura com a nossa fisio querida Vanessa da Fisionoesporte que topou a aventura e nos acompanhou.

O clima no acampamento foi incrível. Fogueira, música ao vivo e muita gente do bem compartilhando experiências. A organização do Desafio das Serras está de parabéns. A estrutura e os Staffs sempre muito solícitos em tudo. Me surpreendeu muito.

Eram 21h e eu já estava na minha barraca pra dormir… e amanhã eu conto como foi o segundo dia…

PARA VER COMO FOI O “DIA 2” DO DESAFIO DAS SERRAS CLIQUE AQUI

Um comentário sobre “Desafio das Serras – Dia 1 – Como foi!

Deixe seu comentário