Já pensou em escalar?

Vou contar aqui como foi fazer o Curso Básico de Escalada do Clube Niteroiense de Montanhismo, vou dar minhas impressões, sensações e mostrar todo o processo.

Quero começar dizendo: A escalada me deu um novo sentido para a vida, me leva pra uma direção que nunca imaginei quando morava em SP. Morando lá, nunca pensei em ser escaladora, definitivamente isso é um marco, muda minha perspectiva de vida, de viver. Sim, isso é muito especial.

Teve até drone. Foto do Vander

Quando me mudei pra Niterói-Rj, não sabia nada de nada dessa cidade. Pesquisei muito na internet pra conhecer o que tinha por aqui, como paulistana que sou, fui pesquisar logo restaurantes perto de casa, ahahahah, e depois outras coisas: faculdades, opções de atividades físicas (funcional na praia, surf, trilhas), montanhas, praias..enfim…queria fazer o que as pessoas daqui fazem, queria viver a vida daqui. Em SP minha vida já eram as trilhas, as corridas em montanhas, por muito tempo trabalhei com isso e nessa linha queria seguir por aqui.

Quando, de repente, me deparo com o site do Clube de Montanhismo Niteroiense, clicando lá em cursos, descobri o Curso Básico de Escalada, olhinhos brilharam. Me lembrei da passagem do cavalinho na Travessia Petro-Tere, em como sofri, definitivamente não queria que aquilo acontecesse novamente.

Massssss…não estavam com turmas abertas. Mandei mensagem e fui em um encontro do clube no Parque Estadual da Serra da Tiririca. Lá conheci o Leandro e o Leo (irmãos), esse último, foi responsável por me levar por boa parte das trilhas que conheço hoje no Rio, eternamente grata. Passei o ano de 2017 todo fazendo trilhas, sempre esperando pelo curso, até que finalmente, em 2018 as inscrições abriram e eu logo me inscrevi. O clube nesse meio tempo, também, ganhou uma sede no bairro de Santa Rosa, onde aconteceram as aulas teóricas.

Sede do clube

O curso

As aulas abrangem os seguintes tópicos: Ética na montanha; Primeiros socorros; Animais peçonhentos; Nós; Segurança; Top Rope; Técnicas de Ascensão; Rapel; Escalada livre; Escalada em artificial; Escalada em chaminé entre outros.

As aulas teóricas são sempre difíceis né, tudo que você quer é ir logo escalar, mas estar no ambiente do clube é sempre muito legal. É onde pudemos nos conhecer, trocar ideias, tirar dúvidas, confraternizar, resenhar sobre o que aconteceu na aula prática e treinar na parede.

Aua teórica na sede do clube

Recebemos um kit básico de escalada com: bauldrier (cadeirinha), 3 fitas de tamanhos diferentes, 1 freio ATC, 3 mosquetões, 3 cordeletes, 1 par de sapatilhas e capacete.

E foi assim:

Aula 01 (teórica) – Montanhismo
Aula 02 (teórica) – Materiais

Quase fiquei maluca só de ler na apostila a quantidade de mosquetões que existem, a variedade de tudo, o monte de equipamentos que precisamos. Naquele momento, só sabia que aqueles equipamentos existiam, como e quando usá-los era uma outra história, que esqueci passados alguns minutos da aula. É muito difícil entender pra que serve tudo aquilo quando você, de fato, não usa e não sabe nada do processo de escalar.

Aula 03 (prática) – Top Rope / Nós

Aeeeeeeeeeeeeeee. Primeira aula prática! Foram montados 3 top ropes no Bananal. Top Rope? Poderia pegar algo pronto, mas vou tentar explicar com as minhas palavras… Você pode fazer um top rope quando é possível chegar em cima da pedra que você vai escalar. Lá em cima é feito o procedimento pra passar a corda pelo ponto fixo. Uma ponta da corda fica presa no escalador, enquanto ela passa pelo sistema fixo lá de cima da pedra, e uma pessoa em baixo faz sua segurança, formando um V invertido.

Ary ensinando como se faz

Essa aula foi demais, foi lá nosso primeiro contato com os equipos, com a aderência, em confiar nas sapatilhas e nos amigos que também estavam aprendendo. E pra gente, foi super desafiador todas as 3 vias, foi uma aula incrível, foi uma ótima ideia, porque não precisamos ficar esperando nossa vez, tinha corda livre a todo momento.

No fim, aprendemos uns 5 nós.

Top Rope

Aula 04 (prática) – Ascensão / Nós

Essa aula foi na pracinha de Itacoatiara, lá tem umas pedras bem maneiras pra treinar. Foram montadas as cordas, a aula foi aprender a fazer uma ascenção principalmente com o nó Prussik usando os cordeletes.

Mas, se você está escalando, porque vai aprender a subir sem ser então escalando? Ahhhhh porque tanta coisa pode acontecer…é melhor ter uma segunda opção.

Ascensão usando nó Prussik

Isso é uma coisa que aprendi, mas sinceramente, preciso treinar mais, porque você fica um tempo sem fazer e acaba esquecendo. E são coisas que no momento de muita emoção, você tem que saber fazer.

Aprendemos mais nós, agora é treinar!

Aprendizes

Aula 05 (teórica) – Téc. Escalada

Aula com Alan Marra, agora sim, tudo começou a fazer mais sentido. Após as primeiras aulas práticas, tudo já começa a clarear. Agora entendo bem o básico: Na via então sobe o guia  na frente, que fica mais exposto e sujeito a quedas maiores, costurando os grampos e a pessoa fica em baixo dando segurança. O guia faz a parada, e é a vez do que está em baixo (participante) subir,o guia dá segurança de cima. Tudo tudo tudo seguindo procedimentos de segurança que aprendemos.

Mais nós, treino treino treino.

Aula 06 (prática) – Rapel / Nós

Sinceramente, é a parte que eu mais temo. Você escala uma via que não tem trilha pra descer, então vai ter que descer no rapel. Quando você chega no último grampo é chegada a hora de montar o seu próprio rapel. Momentos de tensão….tira mosquetão daqui, coloca ali, monta backup (prussik), coloca freio, solta mosquetão do grampo, ou seja, muita atenção pra não fazer nada errado, soltar onde não tem que soltar, prender onde tem que prender, pra mim, tenso!

Sério, não tem nada mais assustador do que confiar no seu procedimento sendo um aprendiz. Pedia insistentemente pros guias conferirem, mais de uma vez o meu. É preciso saber fazer isso corretamente, com muita atenção, se não…é pah…cai lá em baixo e pode ser que você não tenha outra chance de acertar isso.

Rapel, faz direito garota

Eu sou medrosa mesmo, não de altura, mas tenho muito medo de cair, de morrer. Ou seja, montar o precedimento de rapel depois de estar cansada da escalada, não é tão simples, confiar naquilo que você acabou de fazer, requer muita confiança. Essa é a etapa que ainda me sinto mais insegura. Essa aula foi também no Bananal.

Treinamos os nós.

Aula 07 (prática) – Chaminé e artificial / Nós

Aula super legal! Tem vias que você precisa passar por chaminés, outras vias necessitam de equipamentos (o artificial) pra se vencer algum lance, ou passar pra outro ponto da via. Nessa aula aprendemos a técnica de escalar em chaminé e a usar o estribo (escadinha).

Chaminé

Aula 08 (Teórica) Animais Peçonhentos – Palestra

Saí da aula querendo fazer trilhas de armadura…meeedo. Palestra muito legal.

Aula 09 (Teórica) Prova de Nós

Passei na prova…uhu. Treinei mesmo, de verdade.

Aula 10  (Prática) – Via sem Rapel

Sem rapel, maravilha. Primeira via da vida: Via dos Bombeiros ali no Costão de Itacoatiara com o Taffarel me guiando. Foi bem tranquila e uma boa alternativa pra primeira vez.

Via dos Bombeiros

Mas, como o pessoal é bruto, ainda fomos pra mais uma: Via Emil Mesquita, no morro do Telégrafo com rapel. Fiz um crux (parte mais difícil da via) em V na segunda escalada da vida, mais feliz, impossível.

Na Emil Mesquita, logo antes do crux, meu freio caiu no abismo. Sim, fiquei sem o freio, como ia descer no rapel? Fiquei muita tensa, mas o Ary me deu o dele e ele desceu no nó UIAA. Aprendi a fazer esse nó, mas sinceramente só de pensar em descer no UIAA já me dava um nó na garganta. Decidi que no meu kit eu iria comprar dois freios, se um cair tenho outro na mochila e pronto.

Via Emil Mesquita

Aula 11 (teórica) (Prevenção de Acidentes)

Procedimentos de segurança, procedimentos, procedimentos, tem que saber.

Aula 12 (Prática) – Via com Rapel

Fomos pra Via Golpe do Cartão, também tranquila, mas uma delícia de fazer, tirando o rapel. hahaha

Via Golpe do Cartão

Aula 13 (Prática) – Via longa

Fomos pro Rio, na Urca, fazer nossa última aula. Via Heineken, fui com virose mesmo, porque perder aula não era opção. Via tranquila, último lance dela foi mais difícil e foi ótimo. Gosto quando é mais difícil mesmo, gosto de me sentir desafiada.

Via Heineken

encerramento do curso

E assim o curso se encerra, uma pena, queria curso todo fim de semana. Mas, a vida segue. Comprei meu kit básico de escalada e tenho ido pras vias quando me chamam. Ainda me sinto insegura de ir com alguém que não conheço, que nunca escalei. Mas, cada dia, é um novo desafio, cada dia vou melhorando a técnica, cada via tem sua peculiaridade e vou aumentando meu repertório aos poucos.

O encerramento do curso foi com uma invasão ao Costão e formatura na sede com direito à churrasco.

Invasão ao Costão, via Uma Mão Lava a Outra

Eu não posso deixar de agradecer cada um que fez e faz parte disso tudo.

Todos os guias: Leandro, Ary, Marcos Velhinho, Taffarel, Leo, Marcelo e Vinicius.

Toda galera gente boa do clube, todos da turma que fizeram o curso comigo, todo mundo que conheci por causa da escalada.

Meu muito obrigada!

impressões sobre o curso

Pra mim, não poderia ter sido mais importante fazer esse curso. Eu tenho outros olhos ao subir em uma rocha, me sinto mais confiante e a escalada é um esporte fascinante, eu realmente queria escalar quando me inscrevi no curso.

Outros aprendizes talvez, não tivessem como objetivo principal escalar em si, acho que cada pessoa tem sua própria motivação ao se inscrever no curso, e isso é bem legal, também. Alguns procuram pra superar um medo de altura, que pode até não acontecer, outros porque precisam fazer algo novo na vida, outros pra distrair, outros porque querem aprender mais, enfim…

E aí o curso acaba e alguns pouco continuam escalando, por diversos motivos, um deles é que o perigo em escalar é real. E se você não correr atrás pra se manter escalando, você não vai mais escalar, isso inclui comprar seu próprio material, chamar guias pra escalar, se envolver nos eventos do clube, se envolver com as pessoas, conhecer gente, criar relações. Então, tem que gostar mesmo!

 A escalada tem cada vez mais se popularizado e a procura pelos cursos cresceu muito, acho isso muito incrível. Mas, quero acrescentar que mesmo você tentando fazer tudo certo, minimizando todos os riscos, o esporte tem seu risco, muita coisa pode acontecer sim e os acidentes não são poucos. Quando você escala, você assume esse risco, e se manter sempre revisando os procedimentos são coisas muito importantes, afinal é a sua vida e a vida do guia que estão em risco.

Eu acho válido aprender coisa nova! Se você gosta, se é montanhista, acho muito válido, até porque existem as vias com pouca graduação que oferecem pouco risco e a cultura de tudo que envolve a escalada e escaladores é bem interessante. Acho uma atividade ainda bem old school, bem raíz …ahha

Vias concluídas até a data de hoje:

1) Via dos Bombeiros: 2º III E2 200m, guia Taffarel

2) Via Emil Mesquita: 3º V E2 D2, guia Ary. Fui mais uma vez com o Léo e paramos antes do Crux.

3) Via Golpe do Cartão: 3º III E2 D1, guia Marcos Velhinho

4) Via Heineken: 2º III, guia Vinicius

5) Via Luiz Arnaud: 2º III, guia Marcos Velhinho

6) Via Novos Horizontes: 3º IV E2 D1 110 m, guia Vander

7) Via Entre Quatro Paredes: 3º IV E2 D1 150m, guia Velhinho

8) Via Paredão Alan Marra: 3º IIIsup A0/IV 300m, guia Velhinho

9) Via Uma Mão Lava a Outra: 4º V E2 D1 200m, guia Ary

10) Via Paredão Leila Diniz: 2ºIII E2 D1, guia Velhinho

11) Via Velha Faladeira: IV E1, guia Velhinho

12) Via Quarto Escuro: IV E2, guia Velhinho

13) Via Paredão Zezão na Agulha Guarischi: 3º V E2 D2 250m, guia Ary

14) Via Olha Lá: 3º IVsup E4 D1, guia Ary

15) Via Mabelle Reis: 4° IVsup E2 D1, guia Ary

-Clube Niteroiense de Montanhismoinformações

informações

-Clube Niteroiense de Montanhismo

Rua Siqueira Campos, 77 – Santa Rosa, Niterói – RJ

-Você ganha 6 meses de associação ao clube se fizer algum curso. O valor para ser sócio é super acessível mesmo.

-O ambiente do clube é muito legal, tem parede de escalada, tem palestras, tem oficinas, tem uma galera muito legal, tem churrasco, tem cerveja.

-Em Niterói, tem um ginásio de escalada ótimo para treinar, no Rio Cricket, chama 2Hand

-Cuidado com os cursos de escalada por aí, procure ver o cronograma de aulas, a estrutura, os profissionais. Fale com outros escaladores. Desconfie de cursos de fim de semana!

Deixe seu comentário